---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Índice Firjan: Maravilha alcança nota máxima em Investimentos e Autonomia

Publicado em 11/11/2019 às 14:23 - Atualizado em 11/11/2019 às 14:23


Créditos: Eloísa Reichert Baixar Imagem

Depois de alcançar o posto de 39ª economia do estado de Santa Catarina em 2019, Maravilha alcança nota máxima em Investimentos e Autonomia segundo um estudo que avaliou o desempenho econômico de 5.337 cidades brasileiras. Construído com base em dados oficiais do último ano, o Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) 2019 é composto por quatro indicadores: Autonomia, Gastos com Pessoal, Liquidez e Investimentos.

Nota máxima em Autonomia: Maravilha alcançou excelência no índice que verifica a relação entre as receitas oriundas da atividade econômica do município e os custos para manutenção da estrutura administrativa. O estudo apurou que muitos municípios do país não se sustentam já que a receita local gerada não é suficiente para cobrir os gastos com a própria estrutura administrativa e com a Câmara de Vereadores. Maravilha vem mantendo o bom desempenho com nota máxima desde 2013.

Outro critério que recebeu a avaliação máxima na gestão foi Investimentos. O IFGF Investimentos mede a parcela da Receita Total dos municípios destinada a melhorias nas cidades. Na prática, investimentos pensados para o futuro da população, como em infraestrutura e escolas, postos de saúde, pavimentações. Desde 2014 Maravilha é apontada pela FIRJAN como nota máxima e excelência em gestão nesse critério.  

Nos critérios Gastos com Pessoal e Liquidez o município obteve resultados melhores do que em 2017, no entanto, ficou abaixo da nota de excelência. Na avaliação da prefeita Rosi Maldaner e do vice-prefeito Sandro Donati a tendência é que para 2019 o município consiga alcançar a excelência já que o projeto de redução de gratificações foi aprovado, o percentual da folha de pagamento já registra índices menores e o estudo a medida possibilita uma gestão mais enxuta e com novos investimentos para a população.

A metodologia do IFGF considera os quatro indicadores citados, em que a pontuação adotada varia de 0 a 1 ponto (quanto mais próximo de 1, melhor a situação fiscal do município). Cada cidade é classificada nos seguintes conceitos:

- Gestão de Excelência: resultados superiores a 0,8

- Boa Gestão: resultados entre 0,6 e 0,8

- Gestão em Dificuldade: resultados entre 0,4 e 0,6

- Gestão Crítica: resultados inferiores a 0,4

O estudo completo está disponível no link https://bit.ly/32z48v1